Blog do Eduardo Costa Meu blog pessoal

10Abr/082

Demissão em empresa pública

Hoje, ao explicar para um amigo os passos necessários para demitir-se de meu atual empregador (uma empresa pública), fiquei tão espantado com o tamanho do processo que decidi publicar aqui.

Os passos que segui para tal foram:

  1. Ir até o RH perguntar qual era o processo;
  2. O representante do RH imprimiu um modelo de carta de demissão e pediu para eu assinar e para eu solicitar a assinatura da minha chefia imediata;
  3. Pedi demissão para minha chefia imediata e fiz um "pré-acordo" de aviso prévio com ela;
  4. Como o "pré-acordo" não era o que estava escrito na carta de demissão, rasgamos essa e geramos uma nova;
  5. Minha chefia solicitou a aprovação do acordo para a superintendência (ou seja, o chefe do chefe dela) - cuja resposta não foi imediata;
  6. Enquanto o superintendente não respondia, mandaram-me um questionário de demissão, com seis páginas, para eu descrever, em papel, minha "estada" na empresa;
  7. Após uma semana, o superintendente aceitou o acordo, mas, como houve mais um detalhe a ser alterado na carta de demissão, uma nova foi emitida e mais uma árvore morre graças ao desperdício de papel;
  8. Era para eu marcar um exame médico demissional, mas me dispensaram por ter feito o exame periódico a menos de 90 dias;
  9. Agora, tenho agendada uma entrevista demissional pessoal com uma estagiária em assistência social para entregar o questionário em papel que respondi;
  10. Tenho que entregar um tal de "aviso pré-demissional", que não me entregaram o modelo ainda;
  11. Falta, também, entregar minha carteira profissional para atualização dos dados;
  12. Daqui a uma semana, terei que marcar um dia para ir até o sindicato para efetuar a homologação da demissão; e
  13. Se não esqueceram de me avisar nada, finalmente estarei desligado da empresa.

Queria ver se alguém acha que os Vogons são burocráticos demais... Lembro até hoje do meu primeiro emprego formal, que tive que sair por causa da faculdade. A demissão foi bem simples: falei com a chefia imediata, que tentou me segurar na empresa mais um pouco, depois entreguei minha carteira no RH e pronto. Sem muita burocracia, e nenhuma árvore foi molestada nesse processo.