Blog do Eduardo Costa Meu blog pessoal

2Abr/081

Cálculo dos valores a receber em uma demissão

Uma pequena contribuição para a blogosfera. Quando seu contrato CLT termina, sempre existe o cálculo dos "direitos" (vulgo: dinheiro) a receber. Para o funcionário, esse cálculo pode ser feito gratuitamente no sítio do Cálculo Exato.

26Mar/080

Como calcular diferenças salariais

Para quem está pensando em mudar de emprego, fica uma dica útil, que aprendi da forma mais difícil: como calcular a mudança de salário?

Se você é CLT e quer virar PJ ou afins, nota que existe uma diferença enorme na forma do cálculo. O truque para não sair perdido e perdendo é: calcule o quanto você ganha por ANO.

Pense comigo: embora seu salário seja mensal, alguns benefício são anuais, como o 13º ou o abono de férias. Se você fizer o cálculo mensal, esses valores ficam mais difíceis para comparar, principalmente se a proposta que recebeu não for do mesmo regime. Além disso, diferenças pequenas podem tornar-se grandes diferenças ao final do ano.

Ou seja, calcule primeiro quanto ganha (ou ganhará) por mês, somando o salário com os benefícios mensais, incluindo VR, VT, FGTS, INSS, etc, depois subtraia dos descontos mensais. A seguir, multiplique por 12 e some os benefícios anuais (e subtraia os descontos anuais, se houver).

Isso lhe dará o valor exato de quanto você ganha (ou ganhará) por ano. Você pode comparar esses valores diretamente, para ver o quanto a mais - ou a menos - terá por ano, ou dividir por 12 e ter uma noção do valor por mês, que ajuda caso não tenha benefício algum na proposta que recebeu.

Aliás, essa abordagem permite ajudar muito no orçamento doméstico. Imagine que você quer comprar um carro. Você fez por merecer©, então decide comprar um Ford Fusion. O exemplar que você viu custa uns R$ 96 mil. Se seu salário anual líquido for de R$ 48 mil, levaria dois anos para juntar o dinheiro, assumindo que você não tem nenhuma outra despesa.

Não sei quanto a você, caro leitor, mas eu me desanimaria ao ver que o carro custa dois anos inteiros de salário. Vem logo um flashback lembrando dos dois últimos anos que trabalhei, que teriam que ir INTEIROS, só para comprar um carro, que nem é tão exclusivo assim.

18Mar/080

PJ ou CLT – A pergunta de sempre

Creio que todos os profissionais da área de TI já tiveram essa dúvida: devo ganhar mais como PJ ou devo ficar protegido pela CLT?

Não vou entrar nos méritos do quão viáveis tais regimes são, pois existem locais na Internet que são mais apropriados para tal leitura, como o blog do Arcanjo, ou até a própria CLT.

Minha contribuição aqui é mais prática e pessoal. Fiz uma planilha para calcular o ganho que se teria mudando de CLT para PJ. Pode baixá-la clicando aqui. Basta preencher seus dados na planilha de dados pessoais e colocar as propostas na planilha de comparação. O arquivo está protegido contra alteração, mas apenas para facilitar o preenchimento.

Bom, aproveitando o momento, deixarei minha humilde opinião sobre o assunto. Do ponto de vista do empregado (leia-se "do meu ponto de vista"), PJ é bom para quem gosta de deveres. CLT é bom para quem gosta de direitos.

Oras, se você tem muito prazer no trabalho que realiza, por que iria ser obrigado a parar um mês por ano? Se não tem prazer, por que continuar? Os homens mais ricos do mundo ficaram ricos fazendo somente o que gostam.

E, falando em dinheiro, se você sabe ter controle total sobre seu dinheiro, de que adianta uma conta FGTS ou 13º? Eu tenho uma previdência privada e uma poupança na qual deposito dinheiro mensalmente. Qual é a diferença, para mim, se o dinheiro está em uma conta na qual não tenho acesso ou numa conta na qual eu tenho controle, mas não faço saques? Percebe? Não tem diferença.

O que acho muito ruim é obrigar o profissional a escolher um dos dois regimes, normalmente o PJ. Nem todo mundo está preparado para esse tipo de controle pessoal. Pense comigo: se o profissional é bom, a empresa não teria porque demití-lo. Se esse mesmo empregado quer receber menos, mas ser CLT, por que não? Questão de negociação.