Blog do Eduardo Costa Meu blog pessoal

22Mar/121

A dificuldade de viver na legalidade

Agora que sou um cara trabalhador, e que sofro para conseguir terminar qualquer projeto pessoal que me renda algum extra, julgo muito importante viver na legalidade. Isso envolve não consumir nenhum tipo de material pirata. Jogos, filmes, tudo. Eu reaprendi a ter o mesmo amor de um jogo comprado que eu tinha na época em que meu amado pai comprava meus cartuchos de video-game. Afinal, sei o trabalho que foi para os autores desenvolverem suas respectivas obras.

No Steam, compro sem problemas. Achei também um tal de GameTree com alguns jogos Mac bons também. Para iPad, eu tinha minha conta na Argentina - afinal, o Brasil tem que complicar e não aceita classificações estrangeiras, o que impossibilita a Apple de vender jogos aqui.

Eis que hoje descubro que meu cartão não é mais aceito na terra do Maradona. Tal qual acontece no EUA e outros países evoluídos, o cartão precisa ser nacional. Tudo bem, correto. Deve ser para prevenir fraudes e outros absurdos. Não obstante, lascou minha vida. Mais uma porta na cara de quem faz o possível para viver na legalidade. Sorte minha que no Uruguai ainda funciona: bastou mover a conta para lá e continuar feliz.

Estou vendo a hora em que só comprando gift cards do iTunes com simbólicas taxas de 10% (multiplique com o câmbio do dia). Dói... Resumo da ópera? O ditado "crime não compensa" está caindo em desuso.

Categorias: shoutbox 1 Comentário
3Mar/121

Como motivar funcionários, ao estilo Minecraft

Motivar profissionais é uma arte. São poucos os que conseguem manter um talento motivado e produtivo. Notch (também conhecido como Markus Persson), criador do jogo Minecraft, definitivamente sabe como fazer seus funcionários muito felizes. Mais felizes que personagens no fim de um filme de comédia romântica.

Quer saber a receita? Os passos são simples:

  1. Lucre três milhões de dólares. Esta parte é fácil. Se tem empresa que lucra bilhões, o que são míseros três milhões? Ainda mais quando você tem uma equipe de talentos.
  2. Agora vem o passo mais difícil de todos. Não, esse passo não envolve embolsar o dinheiro e gastar com algum carro esportivo ou com um jatinho particular. Pegue esses três milhões de dólares e divida entre seus funcionários. Sim! Pegue tudo e dê para eles. Sem esperar nada em troca vai ser um enorme diferencial.

Duvida? Olha o tweet do Notch para provar:

Os mais céticos devem achar que a Mojang (nome da empresa cujo dono é o Notch e cujo lucro em 2011 foi três milhões e cujos funcionários devem ser os mais felizes do mundo - literalmente) deve ser uma organização enorme, multinacional, com milhares de empregados. Mesmo se tivesse três mil funcionários, seriam mais de mil dólares de bônus. Oras, quantos brasileiros vão ter uma PPLR de mil dólares esse ano - ou seja, de mil a dois mil reais?.

Só para informar, a Mojang, com seu lucro de três milhões, só tem uns 25 funcionários para dividir a grana! E o Markus não fica numa cadeira de poderoso chefão numa sala especial no último andar do prédio, alisando gatos e oferecendo propostas irrecusáveis. Não. Ele continua desenvolvendo Minecraft junto com os funcionários. Tanto que, no tweet, ele menciona "outros funcionários" - nem parece que é dono da empresa. Aliás, nesta foto, você só reconhece o Notch se souber anteriormente quem ele é.

E, claro, a matemática final: se os três milhões forem divididos igualmente, cada funcionário vai receber uma "PPLR" de CENTO E VINTE MIL DÓLARES. Deixa eu repetir:  "PPLR" de CENTO E VINTE MIL DÓLARES. Mesmo com os impostos abusivos do Brasil, esse valor cairia para, muito por baixo, uns oitenta mil. Já pensou como seria bom receber mais de cem mil reais de bônus da empresa? Ainda mais sem metas ou qualquer outro "deadline" para resolver. O sujeito ganhou três milhões, poderia ter embolsado tudo, gasto com luxo e vida boa, mas decidiu dividir com a galera. Vai dizer que esse povo não vai trabalhar motivado ao extremo?