Blog do Eduardo Costa Meu blog pessoal

29Out/110

Vantagens de ser ex-presidente

Imagina a cena: você sente algo errado na garganta e vai no médico no mesmo dia. Não falei de pronto-socorro! Vai direto ao médico. E não é no "postinho" do bairro. Você vai no Sírio Libanês. O médico banca o House, suspeita de câncer e te passa uma bateria de testes. PARA O DIA SEGUINTE. Sim, exames complexos (inclusive uma biópsia) no dia seguinte! No Sírio Libanês!

Quem conseguiu essa façanha não foi um mega-empresário ou um chefe de estado. Foi o ex-presidente Lula. Hoje, é um zé-ninguém. Não é um chefe de estado, não tem imunidade parlamentar, nem pode viajar com dinheiro público (ou seja, com NOSSO dinheiro).

Direitos iguais, né? Totalmente igualitário. Saúde universal. Zé-mané que nem eu ou você vai ao PS com incômodo na garganta e aguarda na fila até o dia seguinte para ficar cinco minutos com o médico e receber uma receita de xarope (sem codeína), nenhum exame, e a tentativa de marcar um otorrino para, no mínimo, daqui a uns dois meses. Não tem plano de saúde? No SUS você sai sem a receita, dois dias depois, talvez com uma bronca do médico por desperdiçar o tempo dele com bobagens, e sem chance de marcar um otorrino antes de seis meses. Alguma técnica mais avançada que a mão de um médico só vai ser empregada quando o tumor estiver tão protuberante na sua garganta que você já morreu por falta de ar ou adquiriu um "pomo-de-caim" ou simplesmente o benigno virou maligno e você descobre que vai precisar parcelar seu próprio caixão mais a gaveta mortuária (cova só para elite) em 24 meses - a boa notícia é que você não irá pagar todas as parcelas.

Enquanto isso, quantos Albert Einsteins, Mozarts, Camões, Pasteurs, não estão morrendo sem deixar seu legado para a humanidade? Quem sabe uma "Teoria Unificada", uma "Cura para o Câncer" ou mesmo uma bela sinfonia foi para o caixão sem nunca ter saído da cabeça de seu criador?

Vamos ser sinceros, diretos e racionais: qual contribuição o Lula vai dar para a humanidade a partir de agora? Ministrar palestras ou escrever um livro sobre sua própria vida? Sobre como ele abandonou os estudos, sem faculdade, não sabe nem a língua-pátria direito e virou presidente? Pode ser uma boa: desafogaria as faculdades, deixando lá só quem tem realmente interesse.

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Leave a comment

(required)


*

Sem trackbacks