Blog do Eduardo Costa Meu blog pessoal

29Out/110

Saudade dos 28 minutos

tinha dado adeus à promoção dos 28 minutos do Habib's - cortesia da Dilmarionete. Agora, veio o inevitável: a qualidade na entrega absurdamente cara do Habib's fez um bungee jump sem corda. Pedi uma pizza portuguesa e, quarenta e cinco minutos depois (sim, os 28 viraram 45), descobri que a portuga virou peperoni. Um erro bobo: só trocaram ervilha, cebola, ovo e presunto por um salame apimentado. Quase não se nota a diferença.

Vamos reclamar no disque-habib's, que antigamente tinha o aconchegante nome "Alô Tia Edna". Disque cinco para reclamações. Cinco. Opção inválida. WTF? Sim, a opção "reclamações" na URA foi estrategicamente configurada para enviar para "/dev/null". Sete minutos depois (ou seja, 53 minutos de autodigestão gástrica catalisada pelo nervosismo) aparece uma atendente que fez o pedido para troca da pizza. Espera... Troca? Vão levar a antiga e fazer o que? Qualquer coisa diferente de jogar no lixo é altamente anti-higiênico e provavelmente deve ser proibido pela ANVISA. Dica de amigo: pense duas vezes antes de comer algo frio no Habib's.

Para ficar mais divertido, pergunto delicadamente: "qual o prazo de entrega?" A resposta: "é o tempo de preparo e transporte". Ahn... Sério? Não vai contar o tempo para um funcionário nascer, crescer, estudar, tirar péssimas notas e ir para o Habib's, receber treinamento, mais o tempo para a criação e construção do forno, do plantio dos ingredientes "naturais", etc etc? Então vai ser mais rápido que eu esperava! Educadamente perguntei: "numericamente falando, quantos minutos isso quer dizer?" Resposta: "não temos como informar". Ou seja, pode levar 5 minutos ou 50 ou 500 (ou qualquer valor em R+). Tão preciso quanto jogar uma moeda e descobrir qual número dará na próxima loteria. Até a pior das pizzarias chutam um número qualquer. O recordista foi uma hora e meia. É um absurdo, mas deu um prazo!

Depois de debater mais uns 8 minutos com a cidadã, decidi desistir e pensar se devo comer a pizza errada ou esperar. A redonda estava em curso (dizia a lenda). Eu poderia esperar mais um tempo X, no qual X está entre zero e infinito ou comer a peperoni. Definitivamente a fonte inexorável de dor que um dia foi meu estômago me fez aceitar a idéia de comer a pizza fria que deveria ser devolvida.

Após deixar os ácidos estomacais trabalhando em algo diferente das paredes de meu trato digestivo, chega o motoboy com a pizza para trocar. Eu falei, já nada educadamente, que eu cansei de esperar e comi. Ele, com a cabeça fria que eu precisava no momento, disse: "Tudo bem. Se quiser, pode pegar essa aqui também." Ou seja, o funcionário provavelmente mais mal-remunerado, mal-valorizado e com menor autonomia nas decisões fez o que era o mais correto desde o início. Pedi desculpas pelo nervosismo, peguei a pizza e a pessoa com mais sensatez do dia respondeu dizendo: "relaxa". Com tanta gentileza dele nesse mundo atual, aposto que o coitado não dura muito lá.

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Leave a comment

(required)


*

Sem trackbacks