Blog do Eduardo Costa Meu blog pessoal

16Abr/110

IRPF 2011 for Mac

A experiência mais aterradora que tive com meu Mac até agora foi fazer a declaração do IRPF 2011. Tenho 101% de certeza que a RFB não testou em um Mac, ou, se na remota possibilidade alguém testou, com certeza foi um usuário Windows que o fez.

Começa pela instalação, que pede senha de administração. Desisti e fui para a versão em JAR, para rodar no diretório de download. Ao preencher, comecei a ver os problemas básicos: o scroll multitouch não funciona. Cmd-C, Cmd-V também não (esse eu descobri que preciso usar a nada ortopédica "variante Windows" Ctrl-C Ctrl-V). No menu Aqua, aparece "serpro.ppgd.app.IRPFPGD" no lugar do título da aplicação. Nojento.

Depois de seguir a Marta ("relaxe e goze"), pois sou obrigado a usar esse péssimo instrumental que me forneceram, chegou a hora de "gravar e enviar". Algum dia ainda vou entender por que precisa de DOIS programas para isso. Na época da versão Windows, até entendo. Não é fácil transformar um .EXE em um componente e o ReceitaNet envia DIRPF, DITR, etc. Mas, em Java, faça-me o favor!

Declaração gravada, hora de ativar o ReceitaNet. Qual não é minha surpresa quando vejo que é um JAR de instalação! Abstraindo, decidi continuar. Veio a parte legal - diretório de instalação: "/Programas RFB/ReceitaNet 2010 02b"! Madre pérola! Como assim, instalar na raiz? Depois de envelhecer uns 5 anos em 5 segundos, alterei o endereço para usar uma pasta mais Mac-like (primeira vez que precisei fazer isso no Mac) e, como todo bom software Windows migrado para Mac, ele cria uma pasta com um executável e arquivos de dados! Ai, Jesus! Ficou parecendo um cara fantasiado de Superman no meio de uma congregação Amish.

Seguindo a festa, entrei no tal ReceitaNet. Uma aplicação super-simples com um logo animado (eca), uma seleção de arquivo e um botão "enviar". Mais uma vez: por que não embute essa coisa na declaração? Daí, vem a boa: onde está o arquivo? Eu imaginei que estaria no diretório do DIRPF, que nem no Windows. Não estava lá!

Por razões desconhecidas, estava em "Documents". Bom, pelo menos fica fácil para importar ano que vem. Depois de enviar, eles mandam voltar ao programa de declaração e imprimir o recibo. Vem a pergunta: onde, em nome de Cristo, foi parar meu recibo? Não aparece na lista e a pasta "transmitidas" está vazia! No apogeu da intuitividade, eu preciso mandar "procurar" e navegar manualmente do meu "home" até a pasta "gravadas", selecionar o arquivo enviado, selecionar novamente na lista que aparece e então imprimir.

Como se não bastasse, ele não pergunta qual impressora vou usar! Mandou imprimir para a primeira que apareceu. Ou seja, usar o gerador de PDF do Mac, nem pensar. Mandar automaticamente por e-mail usando o "Mail as PDF" virou um delírio.

Segunda tentativa. Navega mais uma vez da pasta "home" para a "gravadas", seleciona, seleciona e clica em "Gerar imagem PDF". Abre o Preview com o arquivo. Onde o arquivo foi gerado? Deus sabe e agora não me importa, pois cumpri minha obrigação anual com a vontade de mandar alguém tomar um suco.

Parabéns para a RFB. O sistema funciona muito bem no Mac. Para não dizer o contrário.

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Leave a comment

(required)


*

Sem trackbacks