Blog do Eduardo Costa Meu blog pessoal

27Jan/112

Demissão em empresa privada

Quase três anos atrás, falei sobre a experiência de pedir demissão em uma empresa pública. Bem burocrático, com muito papel transitando. Hoje, mordo minha língua, pois, embora aparentemente sem sentido, acho que prefiro essa bagunça com papel sem fim lucrativo à desordem que estou passando depois de ser demitido (sem justa causa) por "cortes no orçamento".

Ainda guardo certa indignação, pois agora todo o núcleo da empresa ficou na mão de trainees. Até o trainee que ficou com meus sistemas (que Deus tenha piedade dele) disse no dia: "muito melhor seria demitir a mim e mais dois juniores". O cálculo, feito por ele, é simples: de que adianta manter três pessoas que levam uma semana para fazer o serviço se você pode ter o mesmo serviço feito em um dia pelo mesmo valor por uma única pessoa?

Mais uma vez cito Andrew Tanenbaum, que, em seu livro de Sistemas Operacionais, disse que uma mulher faz um filho em nove meses - mesmo se colocar nove mulheres fazendo o serviço, o prazo continuará sendo nove meses.

Se a filosofia do "manter três fazendo o serviço em cinco vezes mais tempo" é tão viável, por que não demitir os gerentes e diretores para colocar alguns estagiários de administração para fazer o mesmo serviço?

Como se não bastasse o motivo mal-explicado, ainda estou quase um mês esperando para eles depositarem o FGTS para poder fazer a homologação com o sindicato, para finalmente, fazer como a maioria dos brasileiros e "mamar nas tetas do governo". Claro que não vou viver de seguro-desemprego, mas, pelo menos, vou poder sacar meu FGTS.

Alias, falando em FGTS, dois fatos interessantes. O primeiro assusta: reparei no extrato do FGTS que o rendimento mensal é de mîseros 0.2%! Sim, 2‰! Consegue ser menor que a metade da poupança! Ou seja, o dinheiro que eu tenho referente às duas primeiras empresas que trabalhei desvalorizou (e muito)! Mal posso esperar para dar um destino melhor. Ironicamente até a poupança consegue render mais.

Outro fato interessante: eu deveria ter notado o nível de bagunça financeira do meu ex-empregador quando eu recebi o extrato do FGTS em casa e vi que eles SEMPRE depositam o FGTS com atraso. Ou seja, se é mais interessante, economicamente falando, gastar todo mês 5% a mais na folha de pagamento a titulo de multa por atraso (ou 10% se atrasar dois meses), definitivamente não vale a pena manter o funcionário responsável por renovar todo o parque de software de desenvolvimento, economizar algumas centenas de milhares de reais em middleware e consultoria, e otimizar em 1200% (sim, mil e duzentos) o sistema que calcula (em regime de 24x7) o equivalente a nove milhões de registros por dia. Sistema esse que agora está na mão de um trainee cujo principal mentor foi demitido.

Sim, tudo parece muito lógico e impessoal para mim.

Comentários (2) Trackbacks (0)
  1. Até agora não depositaram seu FGTS? Que isso cara!!


Leave a comment

(required)


*

Sem trackbacks